Dia Mundial do Diabetes e a saúde ocular!

Leia mais

No Dia Mundial do Diabetes nosso alerta é sobre a retinopatia diabética!

 

O diabetes é uma doença progressiva que não oferece grandes riscos ao paciente que mantém a doença sob controle. Porém, quando isso não ocorre, a alta concentração de glicose é capaz de afetar seriamente os vasos sanguíneos do corpo, incluindo dos olhos. As pessoas que têm diabetes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as demais!

 

Os cuidados do paciente diabético relacionados à visão devem ser redobrados! A elevada taxa de açúcar no sangue pode provocar lesões nos vasos do olho, ocasionando a retinopatia diabética, doença complexa e capaz de levar à cegueira total. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a retinopatia diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos!

 

O que é a retinopatia diabética?

A Retinopatia é a alteração no fundo do olho provocada pela diabetes. Existem dois tipos de Retinopatia Diabética:

Não proliferativa (RDNP):

Forma inicial da doença, detectada quando os vasos do fundo do olho estão danificados causando hemorragia e vazamento de líquido na retina, que leva ao chamado Edema de Mácula Diabético. Muitos pacientes manifestam a forma leve ou moderada da RDNP e podem até não apresentar nenhum sintoma visual.

Proliferativa (RDP):

Apresenta grande risco de perda de visão. Ela é diagnosticada quando os vasos da retina ou do nervo óptico não conseguem trazer os nutrientes para o fundo do olho e, por consequência, há formação de vasos anormais que causam o sangramento. Pode desencadear hemorragia vítrea, descolamento da retina e glaucoma neovascular.

Causas

O diabetes mellitus é o fator desencadeante dessa doença, que impede o corpo humano de fazer uso adequado de alimentos, especialmente de açúcares. O problema específico é uma quantidade deficiente do hormônio insulina nos diabéticos.

Sintomas e Sinais

Os estágios iniciais normalmente não apresentam sintomas visuais. Somente o exame com a pupila dilatada pode detectar se há alguma alteração no fundo do olho antes mesmo que os sintomas apareçam. Quanto mais cedo forem tratadas as alterações, maiores serão as chances de preservar a visão. Os pacientes com diabetes devem realizar pelo menos um exame de fundo de olho por ano e, caso apresentem alguma alteração da Retinopatia Diabética, são necessárias consultas mais frequentes.
Os sintomas (nos estágios moderado a avançado) são:
• Manchas na visão;
Visão embaçada;
• Perda da visão central ou periférica;
• Distorção na visão.

Como é feito o tratamento?

O controle rigoroso do diabetes com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina ou com uma combinação desses tratamentos, prescritos pelo médico endocrinologista, são a principal forma de evitar a retinopatia diabética. Quando ela já esta instalada, pode-se optar pela fotocoagulação com raio laser, prevenindo hemorragias.

Fotocoagulação por raio laser é o procedimento pelo qual pequenas áreas da retina doente são cauterizadas com a luz de um raio-laser na tentativa de prevenir o processo de hemorragia. O ideal é que esse tratamento seja administrado no início da doença, possibilitando melhores resultados, por isso é extremamente importante a consulta periódica ao oftalmologista.

Fonte: Jota Zero Digital